139 Anos do Majestoso Theatro da Paz

O som do canto dos pássaros, do vento que toca as folhas na copa das árvores e da correnteza do rio criados pelos instrumentos da Amazônia Jazz Band deram as boas-vindas ao público que lotou o Theatro da Paz no concerto que comemorou os 139 anos da casa e os 112 do maestro Waldemar Henrique, comemorados na mesma data, 15 de Fevereiro.

O Theatro da Paz foi fundado durante o período áureo do ciclo da borracha, quando a economia da região amazônica demonstrou um grande crescimento e a sociedade paraense passou a viver os costumes europeus. Belém começou a ser conhecida como a “Capital da Borracha”, passando a necessitar de um teatro que suprisse os grandes espetáculos do gênero lírico.

 

O engenheiro militar José Tiburcio de Magalháes foi contratado pelo Governo para dar início ao projeto arquitetônico inspirado no Teatro Scalla de Milão (Itáia). Fundado no dia 15 de fevereiro de 1978, o teatro foi a primeira casa de espetáculos construída na Amazônia, seu nome foi escolhido em referência a Paz pelo fim da guerra no Paraguai.

Com estrutura grandiosa e visual majestoso, o teatro dispõe de 1.100 lugares, acústica perfeita, lustres de cristal, piso em mosaico de madeiras nobres, afrescos nas paredes e teto, dezenas de obras de arte, gradis e outros elementos decorativos revestidos com folhas de ouro.

Localizado no coração de Belém, é palco de orquestras, peças e outras apresentações artísticas, sendo atualmente, o maior Teatro da Região Norte, considerado um dos Teatros-Monumentos do País, e um dos mais luxuosos do Brasil. Motivo de orgulho para os paraenses, o teatro encanta a todos que o visitam ao longo de seus 139 anos. Parabéns!!!

CONCERTO DE ANIVERSÁRIO THEATRO DA PAZ, MISTURA CLÁSSICOS DE WALDEMAR HENRIQUE AO SOM DA JAZZ BAND

No palco, chocalhos, tambores, apitos, flautas e molhos de chave completavam o jogo de instrumentos cativos do jazz, como guitarras semi-acústicas, contra-baixos, trompetes, trombones e bateria. Na plateia, aplausos acompanhavam a banda a cada pedido gestual do maestro Nelson Neves, que criava uma sinergia entre músicos e plateia em um ritmo uníssono. Para surpreender ainda mais, o concerto contou com as participações especiais do MC Koala e DJ Morcegão.

“A Amazônia Jazz Band tem raízes no jazz, nas big bands norte-americanas, mas é eclética, então flertamos com outros ritmos, como o funk, carimbó, baião, frevo e hip hop. Nos preparamos arduamente para este concerto. O Da Paz, Waldemar Henrique e o público merecem essa dedicação”, explica o maestro sobre o DNA miscigenado da banda que, atualmente, conta com 20 músicos.

No camarim ao lado estavam MC Koala e DJ Morcegão. Koala, que ganhou notoriedade na “Batalha de MC’s”, realizada no bairro de São Brás, em 2012, conta que o convite para fazer parte do concerto é um motivo de orgulho. “É a primeira vez que entro no Theatro da Paz e a honra que sinto por ter sido convidado para essa apresentação é indescritível. Essa é a quinta vez que me apresento com a Jazz Band e a primeira ao lado do Morcegão, que é um DJ experiente. Apesar do hip hop e jazz terem influências diferentes, casam bem por causa do groove, então não tem como dar errado”, disse ansioso.

Ao todo, a Amazônia Jazz Band tocou 11 músicas, sendo quatro de autoria do maestro Waldemar Henrique. “Tamba Tajá” foi executada em parceria com o MC Koala e DJ Morcegão, que criaram letra e arranjos especiais para a canção. Ao final do concerto, banda e público cantaram “parabéns para você” para o teatro e maestro Waldemar Henrique.