História do Futebol no Amazonas

Em 1875 linhas regulares de navegação uniam três vezes ao ano Manáos a Liverpool e junto com estas, vieram aqui se estabelecer casas comerciais com gerentes ingleses e suas famílias, encontrando excelentes oportunidades para o comercio exportador, casas bancárias e serviços (transporte, água, luz, telefone, telegrafo, vestuário e distribuição de gêneros alimentícios), religião, educação doméstica e práticas esportivas. A medida que a colônia  inglesa se expandiu  criaram-se clubes e bairros apartados da cidade.

 

UM DOMINGO DE FUTEBOL QUE ENTROU PARA A HISTÓRIA

O primeiro nome da ponte dos Bilhares foi ponte Floriano Peixoto, precedido por ponte de Dr. Eduardo Ribeiro e posteriormente Ponte Dr. Campos Salles. Na sua proximidade do lado esquerdo da linha do bond ficava o Bosque Municipal.

Naquele domingo à tarde, dia 14 de junho de 1914, o local pitoresco serviria de cenário para o tradicional embate em campo entre dois tradicionais rivais que durante toda a semana tinham intensificado os seus treinos. O dia estava bem ensolarado sem nenhum indicio de chuva que pudesse estragar o espetáculo. A Liga Amazonense de Foot-ball, já prevendo o grande número de pessoas que se deslocariam ao Bosque Municipal 22 de junho, entrou em contato com a empresa de bond Manáos Tramways, para que a mesma disponibilizasse mais veículos para aquela artéria esportiva, pois, o número de torcedores seria muito grande, o que acabou acontecendo.

Desde pela parte da manhã muito antes do jogo iniciar, os bonds começaram a chegar lotados de passageiros, ávidos em presenciar o espetáculo futebolístico daquela tarde. Em pouco tempo, as arquibancadas e dependências do Bosque Municipal estavam lotadas, cerca de 3.000 pessoas estavam presentes ao local, onde dali a poucas horas a bola iria rolar para deleite da enorme assistência.

Este foi o maior público já registrado em uma partida de foot-balll até aquele momento, Manáos praticamente parou para assistir ao jogo decisivo. Isto demonstra o prestígio e a importância que o foot-ball vem adquirindo no Amazonas.

Entre as 3.000 pessoas presentes, no público se encontravam famílias tradicionais, ricos comerciantes, estudantes, professores, médicos, políticos, militares, elegantes senhoras da alta sociedade além de indivíduos das classes populares, como trabalhadores braçais, estivadores, ambulantes, demonstrando que os bonds, com sua mobilidade e rapidez junto como esporte tinham o privilégio de naquele determinado momento, nivelar e unir todas as classes sociais em prol de um único objetivo O FOOT-BALL.

O prêmio máximo dado ao campeão seria o troféu batizado de Taça Gordon, confeccionada em prata a mando do comerciante inglês William Gordon um apreciador de foot-ball que já havia defendido as cores do Manáos Athletic Club (BLUES). Antes do início do jogo a banda do Batalhão Militar entreteu a todos com o seu vasto repertorio musical.

CAMPEONATO AMAZONENSE DE 1914

O colunista “Monóculos” do jornal, ”A Folha do Amazonas” no dia 16 de junho de 1914, escreveu sobre a final  Nacional Foot-ball Club e Manáos Athletic Club:

“O Jogo realisado ante-hontem,  no Bosque Municipal, onde lutavam duas poderosas equipes na conquista da Taça Gordon, bem traduziu o quanto temos progredido nas luctas esportivas.

A assistência maravilhosa, correcta, elegante e justa, aplaudia enthusiasticamente aos combatentes que praticava feitos honrosos. Avaliamos em cerca de três mil pessoas, que ansiosamente assistiam o desenrolar do encontro, que terminou com a victoria do Manáos Athletic Club pelo feliz score de 3X2.

No primeiro tempo o Athletic, dominou por uns dez minutos, o campo do Nacional, tendo este o seu goal vazado duas vezes, uma por Ernesto (“Half back” do Nacional) e outra por Burns, que jogou muito bem.

Faltavam 15 minutos para as 17 horas, quando o refree, Sr. Eurico Borges, que serviu a contento geral, dava por terminado o primeiro “half-time”, tendo o Nacional duas vazas contras!

Terminando o descanso regulamente, sob o apito do juiz entravam novamente em campo os team que apóz uma lucta de uns 15 minutos, Bevilacqua, “inside right” do nacional, consegue marcar um ponto para a sua “équipe”, sob vivos aplausos.

Enthusiasmaram-se os jogadores nacionaes com este feito.

Faltavam 4 minutos para terminar o jogo, quando Cicero conseguiu desvencilhar-se do seu agarrado guarde Wright, conseguio quase da linha de “backs” marcar  segundo e ultimo “goal” para os nacionaes.

Mais alguns renhidos ataques sobre o campo inglez, e quando todos já esperavam mais uma vaza para o Nacional feita Ulisses ou Bevilaqua, eis que Hore, precipitadamente dá violenta “charge” no segundo destes, pondo-o fora de campo. Suspenso o jogo quando só faltavam dois minutos para terminar o match, dahi a momentos  continuaram na peleja, sem resultados.

Numerosissimas gentis senhoritas do nosso meio social, vivaram o “Manáos Athletic Club”, campeão de 1914, e atiravam enthusiasticamente muitas flores naturaes sobre as cabeças dos jogadores nacionaes, honrosamente vencidos, por um núcleo de leaes e correctos inglezes, de que se compunha a “équipe” do Atlhetic. Hurrah, Ao Campeão de 1914.

As equipes da 1º divisão do Campeonato Amazonense de 1914. O campeão foi o team  Manaós Atletic Club, 2º Colocado, foi Nacional Foot Ball Club - Manáos Sporting Club, foi o 3ª colocado.

Findo o Campeonato de 1914, a festa esportiva para entrega das Taças Gordon e Coronel Ramalho aos Campeões da L. A. F. em 1914, só ocorreu no dia 13 de dezembro de 1914 devido ao início da Primeira Guerra Mundial que ocorreu no dia 28 de junho de 1914. Nem todos os atletas ingleses estavam presentes pois já tinham sido convocados pelo Exército Britânico, muito mortos em campos e ares de batalha. Um detalhe que chama a atenção de quem está lendo o texto  como também dos pesquisadores, é que a época era de guerra, não poupando nem mesmo nosso pioneiros atletas olímpicos, na maioria ‘emprestados’ da potência britânica. Como se não bastasse, a maior parte dos navios que faziam a linha Manáos-Liverpool-NovaYork, também requisitados para o esforço de Guerra, foram afundados não mais retornando ao Porto da Manáos Harbour, na capital amazonense.

TAÇA GORDON

O troféu do primeiro campeonato amazonense de futebol da L. A. F. (Liga Amazonense de Futebol) em 1914, foi gentilmente ofertado pelo Sr. William Gordon exportador de borracha, castanha, madeira e outros produtos para New York, Londres e Liverpool.

Foi confeccionada em eletro-prata e na sua base está escrito o nome dos jogadores do time do Manaos Athletic Club: Edmund Compton, A. J. Bilett, J. Cunningham, S. E. Barton, S. E. Gorvin, J. B. Brooks, G. H. Wright, W. Baumann, G. H. Fenton, T. B. Anderson, H. M. Burnet, e F. Higson e Manáos Athletic. Campeão de 1914.

A empresa exportadora Gordon & Cia, estava em Manáos desde 1905, sob a direção do Sr. William S. Gordon, e desde essa epoca, representava a General Rubber Company, de Nova York, e os Srs. W. M. Symington & Co., de Londres e Liverpool.

Um encontro entre os dirigentes de todos os clubs de foot-ball de Manáos para a organização e criação da Liga Amazonense de Foot-ball, ocorreu no dia 6 de janeiro de 1914 e foi noticiada entusiasticamente pelo jornal “A Folha do Amazonas”, do dia 9 de janeiro de 1914:

“Liga Amazonense de Foot-ball. Aqui em Manáos onde temos assistido excelentes partidas de foot-ball onde os clubes existem em número regular, já se fazia sentir a necessidade para organizar e fiscalizar os matchs.

Isto mesmo pensou um grupo de sportsmen sócios de clubs, que cultivam o jogo inglês e que tratou da fundação da Liga Amazonense de Foot-ball, hoje uma realidade entre nós.

Estes sportsmen representando a maioria dos nossos clubs, entregou a uma directoria composta de cavalheiros de reconhecida competência e de alto destaque na nossa sociedade, o encargo da Liga.

 

Estamos certos que brevemente poderemos noticiar novos encontros dos times já em partidas dirigidas como deve ser”. (A Folha do Amazonas -1914)